segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

fato

todos os homens legais estão comprometidos (pelo menos dentro do raio que me cerca)

não sei no passado

não
sei
mais
me
comportar
em
jantar
confraternização
viagem
em
família
(nem em almoços e cafés)
não 
me 
recordo 
se
algum
dia
eu 
soube.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

queria cuspir todas as palavras guardadas no peito

hipótese

imagino como seria te amar:
desisto da idéia numa verbal volúpia
e recomeço a escrever
                                  poemas.

                                                    [ana cristina cesar]





domingo, 8 de dezembro de 2013

lema da vida

só abrir a boca quando tiver alguma coisa útil a acrescentar
um lance de dado
não abolirá jamais o acaso
[s. mallarmé]

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

dica

"primeiro passo para seguir em frente: não corra atrás de quem não quer andar ao seu lado."
[eu me chamo antônio]

7

"eu não sou eu nem sou o outro
sou qualquer coisa de intermédio:
pilar da ponte de tédio
que vai de mim para o outro."

[mário de sá carneiro]

sábado, 16 de novembro de 2013

encontros e desencontros

descobri que também existem os 'quase acasos'. quando tinha tudo pra ser, mas não é.

acaso

encontrar pessoas ao acaso e distraidamente, continua sendo a melhor forma de encontrá-las.

mudei

engraçado pensar que a vida cabe em caixas, literal e metafóricamente. (a vida toda em um caminhão de mudança)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

definição

pós-moderno pra mim é isso: vazio e branco (e isso tá longe de ser algo legal pra mim: acumuladora e multicolorida), e se tratando de um museu pós-moderno, eu digo que a luz também não valoriza.

4 leis da espiritualidade

1- a pessoa que vem é a pessoa certa

2- aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido

3- toda vez que você iniciar é o momento certo

4- quando algo termina, ele termina

(prefiro realmente pensar assim)
ser nômade resolveria muitos dos meus problemas, e claro, traria muitos outros

sábado, 5 de outubro de 2013

agora eu imagino como se sente uma noiva abandonada na frente do altar (aí eu me pergunto: pq não abandonada um dia antes, ou algumas horas antes?)

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

universo, vc está sendo cruel comigo. aquela história de que não carregamos peso maior que conseguimos, agora duvido que seja verdade. talvez pq eu esteja fraca, e não pq os problemas sejam assim realmente tão gigantes. acho q o único peso que suportaria agora é o peso de uma tatuagem isso sim.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

sem excessos

simplesmente adorando essa vida minimalista:
tô lendo um livro que se chama LIVRO
assisti uma peça que se chama NADA
e ouvir um álbum (musical) que se chama DISCO
pra que mais do que isso?
[e definitivamente depois disso tudo, me sentindo mais 'over' do que nunca]

sorte q eu passava por ali, exatamente nesse momento

algumas vezes vc passa pelo lugar certo na hora certa, e isso rende muitas risadas:
-mãe, eu só não ando pelado pra não ser preso!

[de um menininho para sua mãe perplexa com a frase]

domingo, 29 de setembro de 2013

ciclo

engraçado como primeiro fica brava sem entenderem pq, e sem se entender tbm. depois, vc vai digerindo, e finalmente assume o q te deixou puta: vc não sabe desapegar [parece uma coisa meio abstrata, mas é real]. tem medo de mudança, não exatamente medo, mas uma resistência `a, e no fundo, vc sabe que é conservadora nesse sentido. deve ser coisa de vidas passadas, ou quem sabe, freud explica: se sente é abandonada pelas pessoas que por um acaso {ou pela ordem natural da vida de mudanças e desmudanças} saem da sua rotina, saem da barra da sua saia. e não é por não querer que essas pessoas cresçam, desbravem o mundo e sejam felizes, ela quer o bem das pessoas 'a sua volta, mas acontece que sua possessividade e vontade de tê-las todas por perto a faz brava. e brava, desconta nessas pessoas que gosta tanto, e essas pessoas não entendem que o motivo da sua braveza é seu ciúme, e assim elas se afastam (não só pelas circunstâncias de vida, mas pela sua falta de jeito de lidar com o assunto). talvez dessa vez seja diferente, talvez ela consiga lidar de uma forma madura sobre o assunto, já que o mais difícil já fez: reconheceu que está errada.

maio que no hemisfério sul é setembro

"maio. afinal. era maio. o tempo distendia-se por fim. uma breve teoria: há certos movimentos que apenas são possíveis depois do início da primavera. durante a invernia, o corpo esquece-os, mingua, endurece como as árvores. em maio, o corpo recorda esses movimentos, julga reaprendê-los, redescobre a sua verdadeira natureza. é por isso que se fala de renascer na primavera, é por isso que as pessoas se apaixonam e é por isso que crescem as plantas. esses movimentos são simples, todas as pessoas os sabem fazer. ao serem empreendidos, dão lugar a multidões desgovernadas de sequências que, no fim de sua ação, acendem o sol."

[LIVRO, josé luís peixoto]


biscoito da sorte

tenho privilégio de não saber quase tudo. e isso explica o resto.

[manoel de barros]

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

mudando de casa

engraçado como nossa vida cabe em caixas [literal e metaforicamente]

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

"e agora, o que sente um homem moderno caminhando pelo convés de um barco a vapor:
1. seu próprio movimento; 2. o movimento da embarcação, que pode ser na direção contrária; 3. a direção do movimento e a velocidade da corrente; 4. a rotação da terra; 5. sua órbita: 6. as órbitas das luas e dos astros ao seu redor.
resultado: uma organização de movimentos dentro do universo centrado no Eu que está no barco a vapor.
*
uma macieira em flor, suas raízes, a seiva que sobe, seu tronco, a parte transversal com as camadas lenhosas anuais, as flores, sua constituição, suas funções reprodutoras, o fruto, o caroço com as sementes.
uma organização de estados de crescimentos.
uma pessoa dormindo, a circulação de seu sangue, a respiração compassada, a frágil função dos rins,na cabeça um mundo de sonhos em contato com as forças do destino.
uma organização de funções que juntas produzem o repouso."

[teorias da arte moderna, chipp, pág.187]

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ainda não decidi o que sinto por pessoas que me deixam anestesiada: amor ou ódio

[anestesia- s.f. Privação mais ou menos completa da sensibilidade geral, ou da sensibilidade de um órgão em particular, produzida por uma doença ou por um agente anestésico.
Cirur. Abolição da sensibilidade pela aplicação de anestésicos.
Anestesia geral, anestesia com perda da consciência.]

sábado, 14 de setembro de 2013

dilema

eu não sei bem qual é a sua, por não saber exatamente qual é a minha. seria tão mais fácil se não precisássemos interpretar as pessoas seguindo nossa própria conduta (que na maioria das vezes não é muito real e clara). às vezes tenho vontade de falar tudo que penso, só pra ver onde é que vai dar (mas o que exatamente eu penso?), mas aí, fico analisando os fatos, e tenho medo de fazer uma grande besteira e perder o que já foi construído. medo de me arriscar. é, talvez eu possa ser covarde, mas também pode me olhar como prudente. mas prudência excessiva pode trazer prejuízos (como uma loucura excessiva com falta de filtro também). só queria ler os olhos das pessoas, mas antes disso vou me olhar no espelho e tentar ler os meus.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

ALGUÉM CANTANDO

receita

as pessoas não vão mais me decepcionar
pq vou viver sem nenhuma expectativa (e ser bem pessimista)
acho q esse é o segredo do sucesso, haha

terça-feira, 6 de agosto de 2013

sobre mudanças e desmudanças

fui.
voltei.
você felizmente continua aqui
infelizmente a situação continua a mesma.

domingo, 4 de agosto de 2013

samba da bênção

é melhor ser alegre que ser triste
alegria é a melhor coisa que existe
é assim como a luz no coração
(...)
mas pra fazer um samba com beleza
é preciso um bocado de tristeza
é preciso um bocado de tristeza
senão, não se faz um samba não
(...)
senão é como amar uma mulher só linda
e daí? uma mulher tem que ter
qualquer coisa além de beleza
qualquer coisa de triste
qualquer coisa que chora
(....)
porque o samba é a tristeza que balança
e a tristeza tem sempre uma esperança
a tristeza tem sempre uma esperança
de um dia não ser mais triste não
(...)
a vida é arte do encontro
embora haja tanto desencontro pela vida
(...)
porque o samba nasceu lá na bahia
e se hoje ele é branco na poesia
se hoje ele é branco na poesia
ele é negro demais no coração

domingo, 7 de julho de 2013

infinita highway

'mas não precisamos saber pra onde vamos, nós só precisamos ir'

quarta-feira, 3 de julho de 2013

viagem

"Porque viajar é ir mirando o caminho, vivendo-o em toda a sua extensão e, se possível, em toda a sua profundidade, também. É entregar-se à emoção que cada pequena coisa contém ou suscita. É expor-se a todas as experiências e todos os riscos, não só de ordem física, mas, sobretudo, de ordem espiritual. Viajar é outra forma de meditar". (MEIRELES, 1998: 269).

domingo, 30 de junho de 2013

a frase mais profunda de todos os tempos

'é sabido que um coração partido dói muito mais que suco de limão num corte no dedo feito com papel' haha

sexta-feira, 28 de junho de 2013

vazio agudo


ando meio


cheio de tudo
.

{leminski}

terça-feira, 25 de junho de 2013

se eu fosse uma cor, seria uma desse tipo: verdeazulada ou azulesverdeada. quem olhasse e achasse que era verde, não discordaria da pessoa que me definiria como azul (e vice-versa).
acho que escolheria uma cor assim, não por falta de personalidade, mas por questionar essa coisa de que tudo tem definição.
não queria ser indiscutivelmente rosa, ou vermelha, ou azul, seria chato.
quero ser esse tom, que transita entre duas cores, tom esse que não exige um certo nem um errado, que só existe segundo o ponto de vista de cada um.

terça-feira, 18 de junho de 2013

'do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. mas ninguém chama violentas 'as margens que o comprimem'

{bertolt brecht}

sexta-feira, 14 de junho de 2013

a grande questão é: como, em 2013 (tantos anos depois) ainda temos resquícios da ditadura? e isso fica cada dia mais evidente

quinta-feira, 13 de junho de 2013

segunda-feira, 10 de junho de 2013

paradoxos

a vida é boba. depois é ruim. depois, cansa. depois, se vadia. depois, a gente quer alguma coisa que viu. tem medo. tem raiva de outro. depois cansa. depois a vida não é de verdade... sendo que é formosa!

{guimarães rosa}

domingo, 9 de junho de 2013

cores

as cores acabam azuis.
quando as lâmpadas ainda não foram acesas e a nuvem da noite vem cobrindo as folhas lenta, do mar até a serra.
a fumaça desfoca os objetos que não se movem. 
a luz bate na pele das coisas gerando essa camada membrana película chamada cor.
saliva sobre a língua.
às vezes elas parecem vim de dentro das coisas: as cores dos lápis de cores.
linguagem.
pra que haja vermelho é preciso muito branco.
as cores se transformam quando se encostam.
laranja, rosa, cor-de-laranja, cor-de-rosa. 
amanhecer.
as cores costumam arder antes de esmaecer.
quando esfriam, o espaço entre elas e as coisas diminui e borram quando transbordam os verdes maduram cedo.
as luzes apagam preto.
as cores começam azuis dentro dos casulos brancos.
flores pra elas

|arnaldo antunes|

quinta-feira, 6 de junho de 2013

pablo neruda: o livro das perguntas

perguntas irrespondíveis

"esse onde onde termina o espaço
se chama de morte ou infinito?"

"que vim fazer neste planeta?
a quem dirijo esta pergunta?"

"não era verdade que Deus
viva no mundo da lua?"

"como chamar esse coquetel
que mistura vodca com relâmpago?"

"não te enganou a primavera
com beijos que não floresceram?"

"quantas semanas têm um dia
e quantos anos têm um mês?"

"sofre mais quem espera sempre
ou quem nunca esperou ninguém?"

"talvez uma estrela invisível
seja o céu dos suicidas?"

"de que cor é o perfume
do pranto azul das violetas?"

"as lágrimas que não se choram
esperam em pequenos lagos?

ou serão rios invisíveis
que escorrem até a tristeza?"

terça-feira, 21 de maio de 2013

-já foi ou ainda vai ser?
-é.
nossa enorme dificuldade de viver o hoje quando lembramos do ontem, e pensamos no amanhã.

estações

vive a primavera pensando no verão. vive o verão pensando no outono. o outono pensando no inverno, e o inverno na primavera. e quando é que vive o presente?
lados: cada história tem pelo menos dois

sexta-feira, 17 de maio de 2013

parímpar

completo idade par
em anos ímpares
nasci num dia par
em um mês ímpar
ímparpar parímpar
par em par.

sábado, 11 de maio de 2013

seria, se,

"seria tão bom se pudéssemos nos relacionar sem que nenhum dos dois esperasse absolutamente nada, mas infelizmente, insistirás, infelizmente nós, a gente, as pessoas, têm, temos-emoções. meditarias: as pessoas falam coisas, e por trás do que falam há o que sentem, e por trás do que sentem há o que são e nem sempre se mostra. há os níveis não formulados, camadas imperceptíveis, fantasias que nem sempre controlamos, expectativas que quase nunca se cumprem e sobretudo, como dizias, emoções. que nem sempre se mostram."

[morangos mofados]

sábado, 4 de maio de 2013

procura-se

com sorriso inocente
olhar doce
alguém bem criado

sábado, 27 de abril de 2013

sexta-feira, 26 de abril de 2013

"eu já o tinha visto antes, não ali. fazia tempo, não sabia onde. eu tinha andado por muitos lugares. ele tinha um jeito de quem também tinha andado por muitos lugares. num desses lugares, quem sabe. aqui, ali. mas não lembraríamos antes de falar, talvez nem depois. só que não havia palavras" 

(caio fernando abreu)

teoria da relatividade

depois de muito tempo, um ano é pouco.

domingo, 21 de abril de 2013

quinta-feira, 18 de abril de 2013

arte não é matemática
a vida também não
então não ter resposta certa para as coisas,
na verdade é a resposta correta
por isso ela é tão contraditória

sexta-feira, 5 de abril de 2013

às vezes te acho bonito, às vezes nem tanto.
nosso senso estético é maior que nosso senso prático.

terça-feira, 2 de abril de 2013

segunda-feira, 1 de abril de 2013

desatenção

vontade de falar: moça, vc parou do lado errado da escada rolante.
mas quem sou eu pra falar isso, se uns minutos antes disso eu tinha descido do metrô na estação errada jurando que era a minha?
a minha cabeça (e o meu corpo) não andam nesse planeta (desde 1991).

terça-feira, 26 de março de 2013

o que eu mais gosto em você
é o fato de você não gostar de mim.

domingo, 24 de março de 2013

nada

não tenho religião, partido político, e nem time de futebol. pode achar que é por falta de personalidade, pode ser. mas tô feliz assim.

quinta-feira, 21 de março de 2013

sexta-feira, 15 de março de 2013

sábado, 9 de março de 2013

segunda-feira, 4 de março de 2013

não é por inteiro, por completo,
nem pela metade.
é um pouco disso, um pouco daquilo:
o suficiente para completar o cheio.

sábado, 2 de março de 2013

encontro

uma na tpm, outra no inferno astral, e a outra em crise
esse encontro só poderia
dar certo.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

já que é carnaval

'faz da tristeza confete, joga pro ar e deixa o vento levar'

domingo, 27 de janeiro de 2013

se

o amor
da sua vida
está dentro
do(s) seu(s) limite(s) geográfico(s)
?
se é que existe limite
se existe vida
se ainda existe amor.

sábado, 12 de janeiro de 2013

tá chovendo

mesmo.
e pra passar o tempo a gente costura (ou tenta)



sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

é pq não era para

aquela frase clichê: se não aconteceu, é porque não era para acontecer. (não era não. não foi)
ora, mas é claro, se não aconteceu, é pq realmente não aconteceu, então não saberíamos (e nunca vamos  saber) o que poderia ter acontecido. 
o que acontece é que é muito mais cômodo pensarmos que era o destino não acontecer, pq assim não  nos mexemos pra reverter a situação ou evitar o 'não acontecer' (nem mesmo enquanto dá tempo), a gente senta, fica assistindo e se conforma com a ausência do acontecimento.
então essa frase 'se não aconteceu, é pq não era para' é comum e cômoda, todo mundo usa, mas para mim é triste.
mas acho importante pensar que, as coisas que não aconteceram poderiam ter acontecido. mas pra não enlouquecer, é bom a gente não pensar assim.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

também queria


"Em todo o caso não esperem que o meu temperamento se torne menos vagabundo; pelo contrário, tivesse eu meios para viajar e não fosse obrigado a ficar para trabalhar e ganhar a vida, não me veriam dois meses no mesmo sítio. O mundo é tão grande e tão cheio de regiões magníficas que para visitá-las todas nem a vida de mil homens bastaria. Mas, por outro lado, não gostaria de nadar a vagabundear na miséria, gostaria de ter alguns milhares de francos de rendimentos e poder passar o ano em dois ou três lugares diferentes, vivendo modestamente, fazendo alguns negocios para poder pagar as minhas despesas. Viver todo o tempo no mesmo sítio, hei-se sempre achar isso muito triste. Enfim, o mais provável é que uma pessoa vá para onde não quer, que faça o que não queria, e viva e morra de um modo totalmente diferente do que sempre desejou, sem esperar qualquer espécie de compensação" 

Rimbaud

sábado, 5 de janeiro de 2013

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

tem gente

muita gente
pensa coisas
muito diferentes
a meu respeito.
e eu sou todas elas.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

pra 2013 e pra vida

esses são meus votos:

não sei quem

não sei onde
não sei porque
mas vai ser.